9 de out de 2011

Sobre namoro


Genêsis 24: 2-24
O texto conta a história de Abraão, um servo, Isaque e uma escolha acertada. Abraão habitava na terra dos Cananeus, longe de sua origem e de seus parentes. Em determinado momento, Abraão chama seu servo de maior confiança e dá a ele a importante missão de ir até sua terra natal para selecionar, digamos assim, uma esposa para seu filho Isaque. Isso ocorre porque não era da vontade nem de Abraão, nem de Deus, que Isaque se casasse com uma cananita, pois aquele povo não conhecia a Deus, não pertencia ao seu rebanho.
Trazendo para os nossos dias, não tenho dúvidas que um relacionamento entre pessoas que não confessam o mesmo Deus, tem grandes possibilidade de dar errado. Talvez você esteja pensando: “La vem esse história que crente só pode namorar crente” – É mais ou menos isso que eu quero dizer mesmo, porém não é uma imposição, creio que ninguém vai para o inferno por namorar ou até casar com alguém que ainda não confessou Jesus salvador e senhor, conheço casais assim, mas… esteja ciente que as consequências serão para você e toda sua família.

Imagine você agora no seu namoro todo (a) feliz, não quero desencorajá-lo, mas casamento não são olhos brilhando e sorriso sempre estampado, se você é crente e namora um (a) descrente e pensa em casamento, esteja certo que a tendência é cada um seguir seu caminho e conceito de vida, e isso na minha opinião não é ser um, desculpa. Não é nenhum tipo de maldição, mas sinceramente, só vejo uma possibilidade desse casal ser plenamente feliz, se a parte descrente se converter a Cristo. Até lá… ore e lute.
Não foi a toa que Abraão mandou seu servo até sua terra natal para buscar uma esposa para seu filho Isaque, mas não qualquer uma, tinha que ser uma serva de Deus e ponto final. Não existe comunhão entre luz e trevas:
Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? (2 Co 6:14)

Alguma dúvida? Por essa razão eu não aconselho você namorar descrentes, se eu posso ser plenamente feliz ao lado de alguém que serve (com prazer) o mesmo Deus, porque eu escolheria ser infeliz ou no máximo “meio feliz”? Não me parece ser uma escolha muito inteligente.
Acorda jovens, 09 de outubro de 2011

2 comentários:

Anônimo disse...

Cara, genial! Esse fato de namorar a pessoa certa, uma serva de Deus (no meu caso, que sou homem), é uma coisa que eu aplico a minha vida, des de que me converti, e não é atoa que ainda sou solteiro, hehe, creio que a pessoa certa ainda está por vir. Assunto importante, e bem tratado. Até mais!

Acorda jovens disse...

Querido, muuito obrigada pelo comentário. Mais por favor, não esquece de postar seu nome tá? Valeu. Fica na paz !