27 de fev de 2015

PROSTRE-SE



“Eis que veio um homem chamado Jairo, que era chefe da sinagoga, e, prostrando-se aos pés de Jesus, lhe suplicou que chegasse a sua casa”.  (Lc 8. 41)

Nessa passagem, Jesus se depara com um homem desesperado, que sabia que a sua filha estava à beira da morte. Imagino ter sido difícil para Jairo chegar até Jesus. A multidão que o seguia, era formada de pessoas pobres, necessitadas, doentes... E Jairo tinha uma posição. Ele era o chefe da sinagoga. Como juntar-se a essa multidão? Como suplicar a Jesus que entrasse em sua casa? Às vezes, esse é o nosso problema: não queremos deixar Jesus entrar. Porque o "deixar" implica pedir que Ele entre. 

Orgulharmo-nos demais com o dinheiro que temos, com os títulos acadêmicos, com a casa, com o carro... E quando deparamos com algo em nós, ou na nossa família que está à beira da morte, nos aprisionamos em nossas “riquezas”, e desacreditamos que Jesus pode fazer alguma coisa! Ah, como estamos enganados!


Suplicar e se prostrar diante de Jesus foi o segredo da vida de Jairo e isso nos traz uma lição. Por mais que você suplique a Jesus e ele não te atenda (imediatamente), quero te dizer que isso não significa que Ele esteja ocupado em te responder.


Sobretudo, saiba: Jesus nunca vai entrar em sua casa para sair e deixa-la do mesmo jeito. Salomão, sabiamente disse:"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
(Ec 3.1)


Jairo tinha uma única filha e ela estava morrendo... O que está à beira da morte em tua vida? Será que a tua vida espiritual? O teu relacionamento? O casamento dos teus pais? Alguma doença que te incomoda a 3, 5, 8, 12 anos?


Jesus não atendeu a Jairo imediatamente. E talvez essa seja a nossa frustração. Queremos que Deus trabalhe conosco com a mesma velocidade que respondemos a uma mensagem no WhatsApp. Mas não é bem assim.


Jesus não se importou com a posição de Jairo a ponto de que isto fosse o motivo de priorizá-lo. Talvez, se fosse um homem falho, iria primeiro atender sua filha, afinal, seu pai tinha posição. Mas... Jesus não trabalha como o homem! (I Sm. 16. 7b)


Em seguida a súplica de Jairo, uma multidão apertava a Jesus, mas uma mulher... Ah, e que mulher! Tomou toda a atenção de Jesus no meio de uma multidão! Ela não o apertou! Ela tocou... 


Essa mulher me ensina, que a maneira de me aproximar mais de Cristo, é que na condição de serva eu não devo impor nada. Porque Ele é o Senhor. E isso não é uma relação escravocrata. Mas sim de reconhecimento, sabendo que, não vai adiantar nada eu ordenar que Jesus me atenda primeiro. Todas aquelas pessoas também tinham problemas. E por que em nenhuma delas, fez com que saísse virtude de Jesus? (Lc 8. 46)


Simplesmente porque ela não o apertou. O seu toque foi diferente. Sofreu desde o dia que a filha de Jairo nasceu, porque fazia 12 anos que carregava um fluxo de sangue e isso a atormentava. Ela não tinha posição, mas tinha atitude. Prostrou-se aos pés de Jesus e tocou em sua orla. E, imediatamente, foi curada. (Lc 8. 47)

É disso que precisamos. Não apenas esperar atitudes de Jesus para conosco. Mas também ter atitudes. Agir. Fazer sua obra. Sua vontade.


E ainda nessa passagem, enquanto as pessoas acreditavam que a filha de Jairo já estava morta, Jesus chegou e disse-lhe: “Não temas, crê somente, e ela será salva”. (Lc 8. 50)

Diante de Jesus, devemos nos despir de toda titulação, E não apenas pedir que Ele esteja presente em nossa vida quando algo está morrendo. Precisamos confiar em Deus e saber que Ele pode fazer muito mais daquilo que imaginamos.


No entanto, que Ele possa ser o centro das nossas vidas. E nos direcione a tomar decisões em que Ele seja totalmente adorado. 
                                                                                                                     Por: @fabiollaluna

Nenhum comentário: