4 de mar de 2015

COMO VOU SABER SE É MESMO AMOR?



Como você definiria “amor”? Como você definiria “paixão”? Na sua opinião, qual a diferença entre os dois? Provavelmente você não teve dificuldade em responder às perguntas acima. Afinal é fácil ver a diferença entre amor e paixão quando você não está envolvido na situação. Mas isso pode mudar assim que você vê o garoto ou a garota dos seus sonhos. De repente você se apaixona, e nada mais o interessa. Você acha que é o amor da sua vida. Mas é mesmo? Será que é amor ou paixão? Como você pode descobrir? Entender esses três aspectos de um relacionamento pode poupá-lo de sofrimento desnecessário e ajudá-lo, com o tempo, a encontrar o amor verdadeiro.

Atração - O que você vê
É normal se sentir atraído a alguém bonito. O problema é que o que você vê nem sempre corresponde à realidade. Por quê? Por que as aparências enganam. A Bíblia diz: “Como uma argola de ouro, para as narinas, no focinho dum porco, assim é a mulher que é bonita, mas que se desvia da sensatez.” (Provérbios 11:22) É claro que o mesmo principio se aplica aos rapazes.

Paixão - O que você sente
A paixão pode parecer amor. Na realidade, o amor inclui sentimentos românticos. Mas cada um deles se baseia em coisas totalmente diferentes. A paixão surge de uma coisa passageira do que se vê. Além disso, não enxerga as fraquezas da outra pessoa e exagera nas qualidades. Por isso, a paixão é tão durável quanto um castelo de areia.

Amor - O que você sabe
O amor baseia-se em conhecer bem a pessoa: suas qualidades e seus defeitos. Por isso, não é de admirar que a Bíblia descreva o amor como sendo muito mais do que um sentimento. Ela diz que, entre outras coisas, “o amor é longanimidade e benigno... Suporta todas as coisas, acredita todas as coisas, espera todas as coisas, persevera em todas as coisas. O amor nunca falha”. (1 Coríntios 13:4, 7, 8) O amor faz a pessoa agir dessa maneira com base no que ela sabe sobre o outro, não no que ela quer acreditar nem na falta de informações.

Um exemplo de amor verdadeiro ~ O relato da Bíblia sobre Jacó e Raquel ilustra vividamente isto. Este par se conheceu junto a um poço, ao qual Raquel tinha vindo para dar água às ovelhas de seu pai. Jacó sentiu-se imediatamente atraído por ela, não só porque ela era “bela de figura e bela de semblante”, mas porque ela era adoradora de Jeová. Gênesis 29:1- 12, 17.

Depois de passar um mês inteiro na casa da família de Raquel, Jacó revelou estar apaixonado por Raquel, e que queria casar-se com ela. Tratava-se de um simples fascínio romântico? De forma alguma! Por todo aquele mês, ele havia observado Raquel em seu ambiente natural – como ela tratava seus pais e outros, como ela realizava seu trabalho de pastora, quão seriamente ela assumia a adoração de Jeová. Sem dúvida, ele a observou tanto nos seus “melhores” como nos seus “piores” momentos. O amor que ele sentia por ela, assim, não era uma emoção descomedida, mas era amor altruísta, baseado na razão e em profundo respeito.[
Sendo assim, Jacó podia declarar-se disposto a trabalhar para o pai dela por sete anos, a fim de poder recebê-la como esposa. Por certo, nenhum fascínio teria durado tanto! Apenas o amor genuíno, um interesse altruísta no outro, teria feito com que aqueles anos parecessem “apenas alguns dias”. Por causa desse amor genuíno, eles puderam manter a castidade durante tal período. Gênesis 29:20, 21.

O que você pode aprender no exemplo de Jacó e Raquel? Que o amor verdadeiro pode passar pela prova do tempo. Também que ele não se baseie na aparência física. Na verdade, seu futuro marido ou esposa talvez não seja alguém que você ache muito atraente à primeira vista.

Quando você for maduro o suficiente para namorar com o objetivo de se casar, como vai saber se encontrou o amor verdadeiro? Seu coração talvez queira falar mais alto, mas tome uma decisão bem pensada, baseada em princípios bíblicos. Conheça melhor a pessoa, não olhe apenas para a aparência. Dê tempo para que o relacionamento se desenvolva. Lembre-se que a paixão geralmente dura pouco. Mas o amor verdadeiro fica mais forte com o tempo e se torna um “perfeito vínculo de união”. Colossenses 3:14.

Esteja certo de que você pode encontrar esse tipo de amor – se aprender a olhar além da atração (o que você vê) e da paixão (o que você sente).

Será que esta é uma pessoa certa para mim?

Características importantes: 
Como ele(a) mostra sujeição na família e na congregação? - Efésios 5:21,22. 
Como ele(a) trata a família? - Êxodo 20:12. 
Quem são os amigos dele(a)? - Provérbios 13:20. 
Sobre o que ele(a) conversa? - Lucas 6:45. 
Qual é a atitude dele(a) com o dinheiro? - 1 João 2: 15-17. 
Que alvos ele(a) tem? - 1 Timóteo 4: 15. 
Ele(a) está se esforçando para atingir esses alvos? - 1 Coríntios 9:26, 27. 
De que tipo de entretenimento ele(a) gosta? - Salmos 97:10. 
Como ele(a) demonstra o amor que tem por Jeová? - 1 João 5:3. 


Características positivas:
Ele(a) é trabalhador(a)? - Provérbios 31: 17, 19, 21, 22, 27. 
É responsável com o dinheiro? - Provérbios 31: 16,18. 
Tem boa reputação? - Rute 3:11. 
Tem consideração por outros? - Provérbios 31: 20. 

Sinais de perigo:
Ele(a) é briguento(a)? - Provérbios 21: 19. 
Tenta fazer com que você se envolva em conduta sexualmente errada? - Gálatas 5: 19. 
É agressivo(a) físico(a) ou verbalmente? - Efésios 4: 31. 
Precisa tomar bebidas alcoólicas para se divertir? - Provérbios 20: 1. 
É ciumento(a) e egocêntrico(a)? - 1 Coríntios 13: 4, 5.

Via: Os Jovens Perguntam | Blog Temporada das Flores

Um comentário:

Nada é impossivel pela fé disse...

http://nadaeimpossivelpelafe.blogspot.com.br/ se puder estar nos vistando é um honra poder rever seu blog e poder estar nos edificando ! s2